Buscar
  • Luciana Corrêa

Seis caminhos Hygge para amenizar os efeitos da Pandemia e... a acidental história da Tarte Tartin❤



Quando li o título do artigo de Anna Purna Kambhampaty com as dicas de Meik Wiking para a revista TIME, “Seis caminhos para encontrar alegria no triste inverno, de acordo com um especialista em Felicidade”, logo pensei... o que dicas Hygge podem contribuir para nossos dias de verão ou então para dias de tempestade, dias aborrecidos ou dias de quarentena? Porque aqui no Brasil não estamos, nem de perto no inverno, nosso inverno não é tão invernal como o da Dinamarca, mas então o que podemos tirar de toda essa história?


Estamos sim, vivendo dias esquisitos, dias que nem de longe passam por um alegre e suave verão brasileiro. Então achei que podíamos extrair algo deste artigo, além do mais vindo de quem, de nosso guru Hygge, Meik Wiking, se é que assim posso o chamar! O Instituto para a Felicidade dirigido por ele fez uma pesquisa em 2020 sobre o impacto emocional da pandemia sobre as pessoas e o resultado foi o esperado: muitos casos de solidão, ansiedade, medo, preocupação etc. Também pudera, todos fomos imersos em uma situação inesperada e pouco desejada como essa que estamos vivenciando.


Vamos ver por quais caminhos nosso guro nos sugere trilhar?


1º. Caminho Hygge: mergulhe em uma boa leitura.

Ler traz satisfação e bem estar, diminui o stress e faz com que você viaje através da história.



2º. Caminho Hygge: Crie novas experiências buscando novas sensações.

Um estudo do Instituto para a Felicidade de 2018 (Happy Memory Study) mostrou a importância de criar novas experiências afim de criar boas memórias. Abordam neste estudo a “primeiras experiências” como sendo as mais marcantes, por exemplo: o primeiro beijo, a primeira vez que visitou um país etc. Nesta pandemia talvez você tenha que ser mais criativo, então Meik sugere experienciar coisas novas que podem ser um novo aroma, o novo sabor, um novo som, um novo toque. Que tal cozinhar algo totalmente inusitado? Algo que você nunca tenha experimentado? Talvez você não goste e nunca vá repetir, mas talvez...

Meik fala que a pandemia em si já é uma diferente situação que estamos vivendo, algo que ficará na lembrança para o resto de nossas vidas, apenas sugere que esta fase seja vivida com mais leveza, com um pouco de alegria e momentos prazerosos.



3º Caminho Hygge: Marque os momentos felizes.

Pequenos e simples momentos podem ser vividos com contentamento e bem estar, ao lado de pessoas queridas. Viva-os intensamente, note-os com fervor, você irá lembrar mais para frente deles.



4º. Caminho Hygge: Trazer mais e mais Hygge para sua vida.

Já abordamos bastante este assunto aqui em nosso blog, mas sempre há o que se falar deste interessante e enriquecedor estilo de vida, Hygge. O autor do livro The Little Book of Hygge, Meik Wiking, sugere fazer pequenas mudanças em casa trazendo mais conforto e bem estar ao ambiente. Ao imergir em sua própria casa, por conta da pandemia, é preciso se acomodar e se sentir realmente em casa, nesta nova casa, esta que agora se habita verdadeiramente. Ele sugere velas nos jantares. E fala:


"Não acho que as velas vão mudar o mundo. Elas colocam todos em um clima de contar histórias, em vez de apenas sentar, comer e brincar com seus dispositivos eletrônicos."



5º. Caminho Hygge: Reconhecer que ninguém é feliz o tempo todo!

O autor diz que devemos nos libertar do padrão de felicidade plena e total imposto nos dias de hoje, ninguém é feliz o tempo todo, certo? Reconhecer que todos nós, a humanidade como um todo está vivendo um ano difícil, que teremos momentos de medo, angustia e solidão, é importante para amenizarmos os sintomas deste período. Sermos gratos por coisas que antes eram tidas como certas, como: ficar com os familiares, abraçar os amigos, viajar por todos os cantos.



6º. Caminho Hygge: Passar mais tempo na cozinha!

Cozinhar! Tanto o processo em si como o degustar final, ambos, dão prazer! Nesta quarentena nos voltamos mais para este ambiente e nos aventuramos mais na arte de preparar alimentos. Meik fala da Tarte Tartin francesa e diz que é a “felicidade em um círculo” (concordo!). E ainda passa uma receita, vamos a ela?


“Assar doces é uma ótima maneira de usar qualquer maçã ou ameixa que podem estar estragando em breve. Derreta um pouco de açúcar em uma panela própria para forno, adicione muita manteiga, coloque a fruta picada e deixe ferver. Depois coloque massa folhada por cima, e asse no forno por 25 minutos a 200 graus Celsius. Depois vire-a em um prato de servir e aproveite.” Meik Wiking


Pesquisamos a interessante história desta famosa sobremesa!


A história que vamos contar aconteceu na década de 1880 em uma cidadezinha pequena chamada Lamotte-Beuvron, no Vale do Loire, na França. Cidade esta que fica a 160 km ao sul de Paris. As personagens desta história são duas irmãs, as francesas Stephanie e Caroline Tatin, donas e administradoras do Hotel Tatin. Stephanie ficava na cozinha e a irmã Caroline administrava o Hotel que ambas herdaram do pai.


No cardápio do hotel já tinha uma torta de maça muito conhecida e apreciada, era crocante e muito saborosa. A história conta que em um dia mais movimentado na cozinha, Stephanie ao preparar sua tradicional torta, se deu conta de que esqueceu de colocar primeiro a massa da torta, mas as maças já estavam caramelizando no forno... Teve a ideia, e aqui podemos dizer que foi brilhante, de colocar a massa em cima das maças, deixar dourar, depois virar em um prato e servi-la quente. Graças a isso, acidentalmente, Stephanie havia criado uma torta invertida, a tão famosa Tarte Tartin que até hoje consagrou-se como uma das tradicionais receitas francesas.

Esta tarte é feita, originalmente, com manteiga, açúcar e maça, mas muitas variações hoje em dia são praticadas. Vamos ver uma delas?


Receita da Tarte tartin francesa (“felicidade em um círculo”)


Ingredientes:

1 kg de maças

½ limão espremido e suas raspas

100g de manteiga sem sal

300g de açúcar refinado

300g de massa folhada laminada

Canela a gosto


Modo de Fazer:

Descasque as maças, corte-as em meias-luas, deixe-as descansarem no limão espremido e nas raspas.

Derreta a manteiga e o açúcar em uma frigideira (que vai ao forno, aproximadamente 26 cm de diâmetro).

Deixe virar uma calda dourada.

Acomode as maças lado a lado na frigideira, em fogo baixo.

Vire-as quando estiverem douradas de um lado. Coloque canela a gosto.

Desligue o fogo.

Com a massa folhada já aberta, laminada, faça furos com o garfo. Com o cortador de pizza, corte faixas de massa e cubra todas as maças. A parte da massa que ficar para fora da frigideira, coloque para dentro dando um acabamento.

Leve ao forno médio até que a massa fique dourada.

Retire e deixe amornar. Vire em um bonito prato e sirva com uma bola de sorvete de creme.


Aproveite entre pessoas queridas!



Gostou? Compartilhe este post e siga o nosso blog, toda a semana colocamos muitas novidades!


Luciana Corrêa - Mixing things with Love


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo